terça-feira, 19 de outubro de 2010

Cima da linha

Vamos transformar os sonhos em fatos

Esquecer que mais cedo ou tarde ainda sonharemos

Não posso me encher de insipidez

Mas me conceber com possibilidades

Acolher como quem colhe

E me deixar levar como quem flui

Levando cerejas aos pares

Navegando os mares

Levando o que fui

As conseqüências do que serei

3 comentários:

Pedrotti disse...

AH!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Shisuii disse...

Bello

Shisuii

luizsimbolista disse...

De grande lirismo teu poema, parabéns poeta pelos versos e pelo espaço,

um cordial abraço.